Marta Peral Ribeiro

Marta Peral Ribeiro
– Consultora de Comunicação –

É importante que uma marca tenha um bom plano de negócio. Também é importante uma boa estratégia de marketing, um produto/serviço interessante, com um design apelativo, sem dúvida.

Mas o que é que realmente torna uma marca diferente das outras? E o público-alvo, reconhece essa diferença?

Marta Peral Ribeiro
– Consultora de Comunicação –

É importante que uma marca tenha um bom plano de negócio. Também é importante uma boa estratégia de marketing, um produto/serviço interessante, com um design apelativo, sem dúvida.

Mas o que é que realmente torna uma marca diferente das outras? E o público-alvo, reconhece essa diferença?

Palavra de ordem: Diferenciação

A ideia é revelar a personalidade da sua marca ao público-alvo e posicioná-la à frente de outras em determinados segmentos de mercado.

Existem muitas variáveis por onde as marcas podem desenvolver a diferenciação, entre as quais:

  • os valores
  • a inovação
  • a reinvenção de um produto
  • os serviços que apresenta
  • o propósito
  • a credibilidade
  • a conveniência oferecida por um produto/serviço
  • a comunidade que integra
  • a imagem/design
  • uma mascote
  • o modelo de negócio
  • os conteúdos
  • a especialização da marca
  • a quebra com o convencional
  • uma ação solidária resultante da venda (devolver à comunidade)
  • a sustentabilidade da marca
  • limite de disponibilidade do produto
  • o nicho de mercado
  • a associação a um local (cultural, por exemplo)
  • a ligação a determinada emoção

 

Geralmente, as empresas acabam por envolver mais do que um aspeto diferenciador.

No entanto, há um fator que condiciona tudo: o que o cliente capta.

É fundamental que o público-alvo percecione aquilo que o torna diferente. E para isso é importante definir o que, de facto, distingue a sua marca.

 

A estratégia de diferenciação

Comece por definir o porquê da existência da sua marca.

  • Como é que surgiu a sua marca?
  • Qual é a filosofia da empresa? Qual é o seu propósito?
  • O que faltava no mercado e motivou a existência de um novo produto/serviço?
  • Quais são os valores da sua empresa? São coerentes com o tipo de negócio que apresenta?

 

Em segundo lugar, importa estabelecer de forma concisa:

  • Os principais benefícios do seu produto ou serviço;
  • As soluções criadas para colmatar as necessidades do cliente;
  • O motivo para o cliente escolher a sua marca.

 

Pesquise

Depois de identificar o que torna a sua marca única, é necessário garantir que esses elementos vão ao encontro daquilo que o seu público-alvo ideal pretende.

Quanto mais conhecer o seu público-alvo, as suas necessidades, as suas preferências, melhor saberá como diferenciar o seu produto.

Assim, deverá analisar o seu tráfego. Recorra ao Google Analytics, ao Facebook Analytics, ou às estatísticas disponibilizadas pelo blog onde fizer publicações da sua marca – caso a empresa já utilize estes canais de comunicação.

Posteriormente, é conveniente identificar os utilizadores da sua mailing list. Qual é o seu perfil dos utilizadores que procuram os seus serviços e produtos?

Lembre-se que, numa fase inicial, ainda não conhece verdadeiramente o seu público-alvo, mesmo acreditando que sim.

 

Valorize a experiência do utilizador

A ideia é tornar a interação do utilizador/cliente uma experiência única.

Ao procurar efetivamente proporcionar uma boa experiência ao seu cliente, estará a somar pontos na consideração do mesmo.

Inclusivamente, esta abordagem pode passar por literalmente facilitar a vida das pessoas através da criação de um serviço adequado às suas necessidades.

Por outro lado, também deve incluir neste ponto a disponibilidade mental do utilizador. Ou seja, podemos optar por tratar a atenção que ganhamos do nosso cliente como preciosa, em vez de exigirmos a sua interação a todo o instante.

 

Exemplos

 

A Ben & Jerry’s é uma marca de gelados que apresenta vários elementos diferenciadores, desde os seus valores (sustentabilidade, comércio justo) à criatividade de nomes que atribui aos seus produtos.

Ao mesmo tempo, destaca-se pela dinâmica de devolver à comunidade e por limitar a disponibilidade dos produtos de forma divertida:

Marca única

Fonte: Benandjerrys

 

Por sua vez, a Nintendo é a marca líder internacional na indústria de entretenimento interativo. Passados vários anos, continua a reinventar-se e a valorizar a opinião dos utilizadores, e sempre a ganhar novos públicos.

Nintendo

Fonte: Nintendo

 

Vemos isso através das consolas que cria, cujo software é user-friendly, ou quando inovou ao desenvolver uma consola híbrida, (que funciona como consola de TV e também é portátil). Mais do que ser amigável para o utilizador, é amigável para a família.

Por outro lado, a Nintendo procura desenvolver e refazer jogos clássicos solicitados pelos utilizadores, o que denota a valorização que atribui ao cliente.

O sucesso da marca revela-se também na diversificação de segmentos de mercado em que a Nintendo existe.

E qual o lema desta marca? “Fazer as pessoas sorrirem”.

 

Em resumo, a sua estratégia de diferenciação deverá assentar no porquê de a sua marca existir – dos valores à missão, passando pela sua história única. Posteriormente, importa alinhar esse «porquê» com os desafios, desejos, preferências e interesses dos seus clientes.

 

Como diria Simon Sinek, “as pessoas não compram o que fazemos, mas a razão por que o fazemos”.