Ana Mendonça Morais
– Marketing & Communication Strategist –

Todos gostamos de ouvir histórias, certo? Começamos logo em pequenos a delirar com as grandes aventuras das histórias para embalar e, à medida que vamos crescendo, vamos também apreciando as pequenas nuances das histórias de vida de quem se cruza connosco.

A verdade é que, quem sabe contar as melhores e mais cativantes histórias, destaca-se. Sempre. Quer seja na hora de dormir, numa saída com amigos, ou num filme, livro, série ou música.

Ana Mendonça Morais
– Marketing & Communication Strategist –

Todos gostamos de ouvir histórias, certo? Começamos logo em pequenos a delirar com as grandes aventuras das histórias para embalar e, à medida que vamos crescendo, vamos também apreciando as pequenas nuances das histórias de vida de quem se cruza connosco.

A verdade é que, quem sabe contar as melhores e mais cativantes histórias, destaca-se. Sempre. Quer seja na hora de dormir, numa saída com amigos, ou num filme, livro, série ou música.

O que é o storytelling

De forma simples e sucinta, storytelling é a capacidade de contar histórias de maneira relevante. Mas, para o seu negócio, vai muito além disto. Porquê?

Porque o objetivo de contar uma história é criar conexão, cativando a audiência (ou público) e encantando-a através de uma mensagem específica, de forma a que a sua marca seja recordada. É fazer com que o público sinta que aquela história faz sentido para si e que poderia fazer parte da mesma.

Por isso mesmo, para o seu negócio, o storytelling pode ser a diferença entre passar a sua mensagem da forma certa ou não passar de todo. Pode ser a diferença entre alcançar o sucesso ou ficar pelo caminho, entre ser recordado ou esquecido.

Como podemos, então, aplicar o storytelling aos negócios?

A importância do storytelling para os negócios

A imagem do Pai Natal de fato vermelho não foi construída pela Coca-Cola – no entanto, é-lhe muitas vezes atribuída, única e simplesmente pela forma formidável como a sua história foi contada.

Vamos tomar como exemplo uma das marcas mais conhecidas do mundo inteiro: a Coca-Cola (e ignoremos as questões de saúde a si associadas). Todos conhecemos, já quase todos experimentámos e tem milhões de fãs pelo mundo inteiro. Também todos a associamos, em primeira instância ou não, ao velhinho barbudo e simpático que faz as delícias de pequenos e graúdos em Dezembro – o Pai Natal. Aliás, costuma dizer-se que foi a Coca-Cola que nos apresentou o Pai Natal como o conhecemos hoje, de fato vermelho.

Coca Cola Pai NatalPois bem, sabia que isto não é verdade? O fato do Pai Natal era, originalmente, em tons de castanho ou camel. A versão que conhecemos hoje do Pai Natal, juntamente com o seu fato vermelho, foi apresentada ao público pela primeira vez em 1863, pela mão de Thomas Nast. Foi neste Pai Natal que a Coca-Cola se inspirou para, nos anos 20, o incluir nas suas publicidades.

E isto é relevante porquê? Porque destaca a importância do storytelling. A Coca-Cola, ao contar uma história, cria confusões na própria História. A imagem do Pai Natal de fato vermelho não foi construída pela Coca-Cola – no entanto, é-lhe muitas vezes atribuída, única e simplesmente pela forma formidável como a sua história foi contada. E isto reflete-se nos negócios de forma inegável, com campanhas de Natal feitas pela marca que ainda hoje nos fazem sonhar com a magia do Natal – e comprar Coca-Cola…

Dove campanha - artigo storytellingTome também a Dove como bom exemplo de uma marca que recorreu ao storytelling, ao lançar uma campanha onde apresenta não os produtos em si, em utilização, mas sim a forma como as mulheres se vêem e o impacto que a auto-estima e a confiança têm no seu dia-a-dia, associados aos cuidados diários de pele.

Pense ainda nos anúncios da gigante IKEA, que mostra como a casa é um refúgio, um espaço de conforto único e pessoal, onde a felicidade tem de estar presente todos os dias, sem nos bombardear com detalhes sobre o sofá, o roupeiro ou a cozinha que devemos ter.

 

Como aplicar o storytelling ao seu negócio

(…) não recordamos comunicações medianas e neutras, recordamos apenas comunicações que criam emoções e conduzem a uma ação.

Esqueça de vez a ideia de apresentar produtos, serviços e preços “a seco” – por muito que acredite que eles falem e valham por si só. Podem valer, mas porque não torná-los ainda mais apelativos?

Comece a criar uma narrativa interessante para tudo o que quiser apresentar, com personagens relevantes e com as quais o público se possa identificar. Crie uma experiência única e marcante em cada comunicação para, desta forma, humanizar a sua empresa e aproximá-la do seu público. Lembre-se que a comunicação é feita de pessoas para pessoas e que não recordamos comunicações medianas e neutras, recordamos apenas comunicações que criam emoções e conduzem a uma ação.

4 passos para criar uma boa história

Partilhamos consigo alguns passos para a construção de um storytelling cativante – mas lembre-se que há muito além disto a considerar e que contar uma boa história, sem perder o fio à meada, não é assim tão fácil! Mas é crucial.

  1. Pense no que quer comunicar e na mensagem a passar, e mantenha-se fiel a ela. Defina o início, meio e fim da história com um fio condutor que seja fácil de acompanhar.
  2. Defina os problemas e as soluções a apresentar, transformando-os em personagens ou circunstâncias. Crie, por exemplo, uma personagem principal, que deve acabar por representar a valência do seu negócio (serviço/produto a destacar).
  3. Recorra a cores, palavras ou imagens específicas para que o cérebro as associe às informações importantes que a sua marca está a comunicar. Desta forma a sua mensagem será mais facilmente memorizada.
  4. Pense na forma como vai contar a sua história. A plataforma, ou o meio de transmissão da mensagem, é tão importante quanto a mensagem em si. Escolha a melhor plataforma para dizer o que quer e diga-o da forma certa de acordo com isso – afinal, escrever um livro é diferente de fazer um filme, uma música ou uma publicidade para o Youtube.

Na Jellycode contamos histórias todos os dias, tendo em conta a identidade de cada cliente e de acordo com o que cada um quer alcançar. Precisa de ajuda para criar uma história que fale por si? Nós ajudamos, contacte-nos!